terça-feira, 14 de outubro de 2008

BONITO (A)



Pensar, sentir, agir. E encarar o espelho depois. Não importa se você fez bobagem ou não. Sejamos humanos. Inocente, culpado ou faminto, se você gosta do que vê no espelho, sua vida não é um passeio daltônico pela rua, naquela incerteza, naquela certeza de que existem outras cores, outro jeito certo e quentinho de sentir. Ser bonito é ser lindo e fosforescente. E é também um estado de espírito. O sujeito anda sorridente e auto-confiante pela rua, faz amizades, segura o elevador, pergunta o andar. A mocinha cheira bem, mas sem exageiros, e percebe o mundo ao seu redor. Olha nos olhos, sorri. Não é feio ser bonito. E você nunca se sentiu tão bonito (a), por tudo que você é e ainda vai ser. Ah, o poder do belo! Tanto faz se você é ou apenas se sente belo. Beleza gera harmonia, que gera gentileza. Transforme o mundo com a sua.

Foto: Zelda Klaplan para o incrível blog ADVANCED STYLE

* dedico este texto a minha avó Helena que passou a manhã comigo hoje, fazendo feira e ajudando a preparar o primeiro peixe que fiz na vida. Ela é a mais linda, a mais combinando o brinco com o colar. Não vive sem batom nem pra dormir, pois pode encontrar meu avô no sonho e ai? Sem batom não dá! Além de tudo, ela é a mais cativante.

Um comentário:

arthur_debert disse...

Eu quero esse peixe! Urgente!